a voz à solta


Se leio, saio de mim e vou aonde me levam. Se escrevo, saio de mim e vou aonde quero.

18/02/2016

Adagio

Tenho trabalhado pode dizer-se dia e noite. Mesmo que fosse este fevereiro junho, mantinha-se a afirmação verdadeira, dia e noite. Tenho dois trabalhos e de um deles gosto muito. Tanto, que vou dizer que amo o trabalho; pode amar-se um trabalho. Quando comecei a fazê-lo, quando lhe escrevi as primeiras linhas, fi-lo com todo o cuidado, devagar, sem movimentos bruscos, atenta à minha respiração. Como se estivesse a colher uma flor branca para durar toda a minha vida comigo. Senti então um calorzinho no peito e na cabeça, a subir; eu queria fazer aquele trabalho há muito tempo, sonhava com ele de dia e de noite, mas mais de dia. Esta felicidade, ao entrar-me no coração e nos olhos, mandou sair algumas lágrimas que não cabiam mais e que vinham da parte dela, da felicidade. Foram lágrimas boas de chorar: ganhei um trabalho que é lindo porque é muito especial e isto é um amor.

Escrever este texto também. Escrever é um prazer superior, não conta se é bem ou mal, conta que é um prazer superior. Mas não é trabalho.

Amar o trabalho é passar a encaixar na ordem universal das coisas. É engrenar na vida sem folgas, sem sobressaltos, é deslizar nos elementos naturais com uma lubrificação doce e morna, adequada. A música, por exemplo, ficou mais fluida e a luz da manhã mais intensa, o café mais aromático, a tua pele mais quente e pedaços assim de poesia vêm a mim e apanham-me toda encantada, de vez em quando mergulhada num suspiro fundo.

É por isto que não escrevi ainda nadinha sobre as ondas gravitacionais da semana passada.

23 comentários:

  1. Ouvi este adagio contigo e trouxe trabalho para casa. Acho que vou fazer serão.
    Beijos Susana.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que o teu serão tenha sido bem musicado, querida Teresa.
      Obrigada pela companhia.
      :-)

      Eliminar
  2. E este texto tão cheio de amor, porque escrever pode ser um ato de amor, lê-se e saboreia-se lentamente, como o andamento delicado de um adágio.

    Um beijinho, querida Susana :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigad, querida Miss Smile. Tomo as tuas palavras como uma lisonja. E a tua visita, outra.
      :-) um outro beijinho para esse lado aí, vai a sorrir.

      Eliminar
    2. O pequeno 'a' que falta ali em cima, foi engolido no sorriso que o teu comentário me deu. :-)

      Eliminar
  3. Que esse amor se mantenha. É que não vivemos tempos muito propícios a encetar e a desenvolver um amor pelo trabalho, mesmo que o tenhamos regado bem.
    Beijo, Susana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, Isabel. Por isso me sinto tão privilegiada. E agradecida.
      A ti também, pela presença, pelas palavras.
      Um beijo de volta, Isabel.

      Eliminar
  4. Sublinho isto: "Escrever é um prazer superior"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz quem também o tem, meu caro Observador, vê-se.
      :-)

      Eliminar
  5. Cantabile!
    https://www.youtube.com/watch?v=WeAc0oh818s

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lindíssimo. Interpetado pelo grande Daniel Barenboim, muito obrigada!
      Em troca, vai esta, pelas mesmas duas mãos. :-)

      https://www.youtube.com/watch?v=q5OaSju0qNc

      Eliminar
    2. Moonlight para o serão. Obrigado.

      Eliminar
    3. Beethoven vai bem a qualquer hora.
      Eu é que agradeço. :-)

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Obrigada, querida GM. Parece magia, sabes? Ontem escrevi este post e hoje veio uma mensagem que parece conter a promessa de fazer este amor durar, sim. Ainda estou azamboada - as coincidências do universo! :-)

      Eliminar
  7. Via verde, sem portagens e aborrecimentos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o correio azul? Esse também! (já o ruído branco é um aborrecimento)

      Olá, João.

      Eliminar
  8. Fogo eu cá também gosto de escrever mas se tivesse a sua habilidade havia de querer ganhar dinheiro com isso, havia de ser uma profissão é o que era!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso são palavras generosas, caro Grunho. Principalmente por virem de alguém que tem a mesma habilidade.
      Muito obrigada.

      Eliminar
  9. Boa reflexão.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. Adorava amar o meu trabalho... Já gostei,agora faço-o.
    Um dia vou fazer aquilo que me dá prazer. Até lá, vou lendo as tuas publicações e sonhando com um amanhã melhor.
    Que seja um amor para sempre Susana.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desejo que seja mais cedo do que mais tarde que consigas fazer o que te dá prazer, querida Mafy.
      Sonhemos com um amanhã melhor.
      Muito muito obrigada, Mafy.
      Beijinhos (gosto sempre tanto de te ver por aqui).

      Eliminar