a voz à solta


Se leio, saio de mim e vou aonde me levam. Se escrevo, saio de mim e vou aonde quero.

09/05/2016

O trânsito do mercúrio e o primito do bosinho

De manhã deixei a minha filha bem em cheio na paragem do autocarro da qual saí toda depressa porque vinha lá o pesado de passageiros amarelo e paralelipipédico com rodados, isto para não repetir autocarro. Não faltava muito para chegar ao trabalho, mas atentei nas notícias do trânsito. Em todo o território de Portugal, entre as doze horas e as vinte deste dia de maio, o trânsito de mercúrio a passar em frente do sol de quem olha daqui do planeta em que calhou nascermos todos e no qual vemos interesse em fazer guerras mas isto é um aparte que se meteu aqui não sei porquê. Recomendações para não se olhar para o astro rei, e agora foi para não repetir sol, o mercúrio transita de um lado ao outro do – na rádio ouvi – disco solar, um pouco abaixo do diâmetro e é nada mais que um pontinho negro para quem olha daqui mas não deve olhar, também não faz mal porque ninguém imagina mercúrio lá muito grande, este nosso planeta azul onde achamos boa ideia fazer guerras, já disse, é um bocadão maior portanto era assim, ó mercúrio, crescesses. Cheguei ao trabalho e estacionei de marcha atrás, estaciono de marcha atrás há tantos anos que me sinto uma perita na matéria, e foi neste ponto que a notícia do trânsito acima referida evoluiu para as colisões do CERN, já faltou mais para eu ficar agarrada ao rádio o dia todo, querem ver? Aqui fica um ponto de interrogação, para dar um descansozinho tanto ao leitor como às vírgulas, respiramos portanto em conjunto neste mesmo planeta azul em que de vez em quando nos matamos uns aos outros, ah já disse, não vou repetir, e estamos prontos para as surpresas do mundo pequenino, aliás todo minúsculo, que apareceram lá no CERN, surpresa!, parece que o bosão de Higgs tem um primito que ocorre ali imensas vezes, ninguém esperava aquilo, é muita atividade numa risca qualquer que não percebi qual é. Ou seja, afinal andamos ainda mais cheios de partículas fundamentais e não sabíamos. E isto acho giro porque são mais pontos em comum entre nós, os seres do terceiro planeta que... certo, já disse.
Antes de terminar o post, ponho-me a tentar imaginar o bosão de Higgs, que deita tão pouco corpinho, mas deita, que ele deixou-se apanhar. Acho que deve ser de cor preta o bosão (mas devia era chamar-se bosinho, como é evidente), redondinho, espécie bola de bilhar esquiva. Ou seja, vamos lá ver, no fundo uma imitaçãozinha de mercúrio à escala de quem olha daqui donde estamos todos juntos e não deve olhar. Mas quer dizer, isto sou eu, claro.

(lembrei-me agora de uma pergunta que a minha irmã que depois foi estudar economia, me fez há décadas: mas diz-me lá uma coisa, afinal de que cor são os eletrões?)

8 comentários:

  1. E que lhe respondeu?
    Eu diria que são da cor que, aqueles que os conseguirem ver, queiram, porque o céu não é o limite.

    abç amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sobre a cor dos eletrões? acho que lhe respondi que deviam ser azuis... E depois, quando cresci, fui pensar e cheguei à conclusão de que os eletrões são da cor do material de que fazem parte, uma espécie de camaleões, ou seja, refletem a luz daquele comprimento de onda que os nossos olhos veem da cor que veem. :-)
      Portanto é isso mesmo: o céu não é o limite.
      Um abraço, Carmem.

      Eliminar
  2. Há pouco, chamava-me ali fora a minha prima intrigada com uma nuvem avermelhada, já noite caída. Disse-lhe que ainda outro dia, ou melhor noite, tinha avistado uma semelhante. Leio aqui este post astrofísico e pergunto: será por causa do mercúrio? :)
    E cá para mim os eletrões são vermelhos. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso do "chamava-me ali fora a minha prima" quase me dá inveja, quase.
      Os eletrões vermelhos são muito bonitos, eu até gosto mais deles se forem de um vermelho sangue. :-)
      (post astrofísico? xiii... luísa, obrigada, mas eu só venho para aqui brincar com estas coisinhas que me intrigam por demais) :-)

      Eliminar
  3. Cor de burro quando foge. Hás de ver se não é. Fartinha de ver burros a fugir e digo-te mesmo: é que é tal e qual!

    :)
    Abracinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas só se o burro não fugir muito depressa e os eletrões não caírem do burro abaixo... :-)
      Abraço, querida Uva, bom fim de semana.

      Eliminar
  4. cor dos electrões... essa pergunta foi a vencedora da semana! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que a resposta tenha estado à altura, Manel. :-)

      Eliminar