a voz à solta


Se leio, saio de mim e vou aonde me levam. Se escrevo, saio de mim e vou aonde quero.

28/02/2015

Secador de cabelo

Falta uma hora para acabar este fevereiro e lembro-me que há dois fevereiros atrás comecei o blogue. Exactamente neste seu derradeiro dia.

Apetece-me sempre escrever, mas normalmente é preciso trabalhar ou ficar parada nos semáforos, fazer o jantar e arrumar a loiça, passar a ferro ou aspirar o chão, ir a reuniões nas escolas das miúdas, a festas de aniversário ou ao supermercado. E no supermercado não dá jeito nenhum.

No entanto, hoje pôs-se uma tarde boa. A serra esteve fechada dentro de uma nuvem que se espreguiçou desde manhã, branca e espessa, depois espessa e escura. As árvores que se deixaram avistar pareciam adormecidas, não se moviam tal qual não quisessem fazer barulho, o ar sustenta uma humidade de quase cem por cento, mas é relativa, como tudo. Na lareira ardem dois ou três troncos, a música erudita enche o ambiente que já está morno, não tenho nada para fazer, nada para fazer, isto é um luxo especial, sento-me a escrever e a vizinha que se mudou ontem para a casa em frente bate à porta.

Visita para lá, venham ver a casa que bonita ficou, festa na cadela, a vizinha tem uma cadela, visita para cá, aqui está quentinho, é vinho e queijo e compota de pêra faz favor, faltam os guardanapos, onde se come bem aqui, onde se compra lenha, onde isto onde aquilo, passam as horas, no fim a vizinha precisava era do secador de cabelo, se eu tivesse um. Eu tinha um.

O problema de escrever posts muito longos, para além de aborrecer de vez em quando as pessoas, é de repente já ser o dia seguinte. Ora sucedendo isso hoje não poderia mais celebrar este fevereiro, por conseguinte vai de encolher cortar e encurtar.

Assim, ficou o post magrinho, raquítico, desenxabido. Sem interesse nenhum. Mas ficou.

13 comentários:

  1. Os primeiro dois anos de belíssima arte de escrita, dos muitos que se espera que a voz se mantenha assim, à solta. Muitos parabéns!

    Bom domingo, cara Susana :)

    ResponderEliminar
  2. Parabéns. Que a voz se solte sempre!

    Beijo, Susana! :)

    ResponderEliminar
  3. Carríssimo Xilre, o que me resta senão soltar um sentido agradecimento?
    Muito obrigada!

    Um óptimo domingo para si. :-)

    ResponderEliminar
  4. E assim, não deixou de se comemorar uma efeméride, que merece ser comemorada :). Ah! e por aqui, "desenxabido", é palavra mal aplicada. Espero que a vida a acontecer, vá dando também algum tempo para o prazer da escrita, porque isto de prazer com prazer se paga e eu quero continuar a ter o prazer de cá vir ler.
    Beijinhos Susana

    (Isto agora não tem nada a ver, mas acabo de ler um comentário lá no Pipoco, são coisas só de blogues mesmo, eu percebi, porque teve origem num blogue que eu leio e a Susana também :) está aí ao lado. É daquelas coisas inócuas, que não prejudicam ninguém e que nos faz sorrir, quando a esgrimir argumentos estão senhores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "A vida a acontecer" é exactamente a minha musa, ela e as pessoas que por mim passam. Muito obrigada, Cláudia. Beijinhos de volta.

      (hum.... sei não.... :-))

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Deste lado e desse também, Tétisq! Obrigada e beijinho para ti.

      Eliminar
  6. Recente descoberta esta da tua voz à solta, Susana.
    Se vai até onde quer quando a solta, que venham mais Fevereiros e outros tantos meses.
    Bom domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Maria! Também gostei muito de descobrir o teu DoubleM :-).

      Boa semana.

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Muito obrigada, Timtim. Muitos aqui e muitos do teu lado, também. E bons.

      Eliminar