a voz à solta


Se leio, saio de mim e vou aonde me levam. Se escrevo, saio de mim e vou aonde quero.

31/01/2020

Miopia

- "De vez em quando, publico uma frase motivacional, que é o que as pessoas gostam. Eu não gosto de frases motivacionais, atenção" - trejeito de desprezo pelas frases motivacionais - "mas essas é que dão likes! Se publico um dos meus textos profundos que ninguém percebe" - interrupção para aguardar que estas suas palavras produzam o magnífico efeito esperado na audiência, totalmente impreparada para o fenómeno genial que tem à frente - "aí, nos meus textos profundos, tenho menos likes. As pessoas querem é frases motivacionais."

"As pessoas". Não terá ela reparado que na audiência quem se senta não são camelos, não são moscas nem ovelhas, não são elefantes ou macacos amestrados, não são sequer os muito procurados robots, não. Na audiência, sentam-se precisamente, olha que coincidência, pessoas.

Ao meu lado, Júlia pesquisa no seu dispositivo inteligente material sobre a autora daquelas palavras, nitidamente muito presente nas redes sociais. Acho que ela está tão enojada quanto eu, mas eu ainda devo ter o queixo caído. Encontra fotografias do exemplar. Solta uma leve exclamação. Mostra-mas: são fotografias que estão para a oradora aqui presente, como está, digamos, a bela para o monstro (embora o monstro até fosse fofinho).

Eu se tivesse uma vontade irresistível de enganar pessoas desta maneira, acho que pelo menos tentava disfarçar.

26 comentários:

  1. «O português nunca pode ser homem de ideias, por causa da paixão da forma. A sua mania é fazer belas frases, ver-lhes o brilho, sentir-lhes a música. Se for necessário falsear a ideia, deixa-la incompleta, exagera-la, para a frase ganhar em beleza, o desgraçado não hesita... Vá-se pela água abaixo o pensamento, mas salve-se a bela frase.»

    Eça de Queirós, Os Maias

    ;)

    ResponderEliminar
  2. Hum... pode ser que Eça tivesse razão, pode ser.

    Mas não serão de excluir outras hipóteses:

    "O pobre bicho não tem culpa, aqui não há trabalho que sirva para ele, a não ser que o mandasse para os estaleiros do tejo a transportar tábuas, mas o coitado iria padecer, porque a sua especialidade profissional são os troncos, que se ajeitam melhor à tromba pela curvatura."

    José Saramago, A viagem do elefante

    :-)

    ResponderEliminar
  3. :))

    «Às árvores pintadas não lhes caem as folhas.»


    José Saramago, A viagem do elefante

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "So a lot of times, we can't judge the book by its cover."
      Denver Moore, no filme "Same Kind of Different as Me", (1h57m)

      :-)

      Eliminar
    2. "Volta e meia, certa história oriental é recordada, numa versão ou noutra. No cinema também já apareceu. Retomo hoje a tradição. Uma mulher queixa-se a um juiz:"A minha vizinha roubou-me a cabra, o mel e o homem. Faz-me justiça." E o juiz diz-lhe:"Tens razão." Mas ela sai, rompe a vizinha pela casa do juiz aos gritos:"Foste enganado por aquela mulher. O homem, a cabra e o mel são meus. Ela é que nós roubou." "Tens razão", confirma o juiz. A mulher do juiz, que tinha ouvido tudo, interpelou-o, agastada: "Como é que foste dar razão a duas criaturas que afirmam exactamente o contrário?" Responde o juiz:"Tens razão."

      Do maravilhoso Mário de Carvalho, um Quem disser o contrário é porque tem razão :))

      Eliminar
    3. (desculpa os lapsos, teclo no telemóvel :(

      Eliminar
    4. O Mário de Carvalho é maravilhoso, pois é. Gosto tanto dele, que há uns dois anos apanhei-o na Feira do Livro e fui lá para falar com ele uns minutos, saber como ele era ao vivo. :-) É um senhor. Doce, tranquilo, generoso.

      E tu és uma flor inspiradora, que alinda todo o jardim do qual decides fazer parte.

      Eliminar
    5. :) creio que escreveste sobre isso e eu li :)

      Que saudades de pelejar na blogosfera! Estão todos a desaparecer :(

      Eliminar
    6. Não estão todos a desaparecer, mas que há aí alguns a deixar muitas saudades, há!...

      Aproveito para acusar a (tão agradável) leitura daquele teu post por alturas do Natal a recordar o nosso valente roubo de uma bela vaca, aliás, VOSSO roubo, porque a vaca, esse belo animal de generosas e redondas proporções, toda a gente sabia, era minha!
      :-))) (como é que se faz um sorriso muito grande?)

      Eliminar
  4. "Frases motivacionais" são o zero da literatura (bem ao contrário das vossas nos comentários anteriores), para já não dizer da humanidade. E, contudo, como vendem...
    Oh querida Susana, gosto tanto das suas frases "não motivacionais"...
    ~CC~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma frase motivacional que não seja colocada no contexto e momento em que é necessária, adequada ao fim e à pessoa dela precisa, é somente a revelaçáo de uma prepotência arrogante disfarçada de coisa fofa. A acrescentar ao verdadeiro motivo por detrás da frase motivacional: obter likes para fins de interesse exclusivo de quem a emite. É nojento.
      Temo que o sucesso das frases motivacionais fajutas que pululam por aí se deva a uma grande, generalizada, solidão por parte de quem as consome. E isto parece-me tão triste.
      Querida CC, muito obrigada e um excelente domingo. :-)

      Eliminar
  5. Por mil abrenúncios!!! Não me obrigues a olear as correntes ao chaimite! A vaca era minha!!! :)))

    Um sorriso maior ainda! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu eras no máximo a madrinha! Via-se perfeitamente que a bicha estava muito mais apegada a mim! todos aqueles muuumuuus....
      :-DDDD

      Eliminar
    2. Mas é que nem pensar! A 🐄 sempre gostou mais de mim! Ahahahahah!

      Eliminar
    3. Tu já tens uma aranha! Chega perfeitamente!

      (Ainda por cima é das pirosas, que vêm com o extra de origem pelos-nas-pernas!)

      Eliminar
    4. Ahahahahah! Precisamente por isso! Milu e Mumu eram amigas e eu já tenho vastíssima experiência no trato com bicharada :) pois que não pense a menina Susana que ter uma vaca é só po-la a pastar! E quem lhe limpa o estrume da loja?! :)

      (Milu chora copiosamente aqui ao meu lado, tadinha... Já lhe disse que os pelos dela são lindos, mas com esse ciberbullyng não sei... Ahahahahah :b

      Eliminar
    5. A minha cliente irá pronunciar-se em sede e diligências próprias, ou seja, doravante representada por mim, seu advogado ora constituído. Estou fazendo uso da conta de utilizador da minha cliente para este fim e por motivos que se prendem com a confidencialidade que a delicadeza deste caso merece, como vossa mercê compreenderá.
      O património da minha cliente é inalienável quando assim dita sua suprema vontade, extensível às suas cabeças de gado e acessórios. Referimo-nos a um animal do sexo feminino, cor acastanhada, de grande porte e quatro patas que, ultimamente, é visto a transportar entre a ponta da orelha direita e o vigoroso dorso uma teia urdida por outro animal de porte insignificante e de pelo menos oito patas, se as tiver sabido preservar na sua abundante pilosidade. Este segundo, sublinhamos insignificante, por ter sido encontrado em território bovino da minha cliente, é por lei apreendido, tomado para o rol da minha representada sem mais delongas.
      No entanto, por ter a minha cliente um coração de ouro, vai o animal de porte, repetimos, insignificante, ser submetido a uma operação de tosquia, nas oito patas mas apenas do joelho para baixo, para ficar com um mínimo de apresentação e melhor agradar ao generoso exemplar bovino a que chamou casa e que tem sofrido as consequências dos incómodos causados praticamente em silêncio. Apenas soltando, aqui e ali, um mugido triste, mas contido.
      Atenciosamente,
      M.M.

      Eliminar
    6. m&m, o que eu gosto de amendoim vestido de chocolate às corzinhas! então és tu o galifão da Susana? o mafioso de pasta de cabedal que julga assustar a campónia com a terminologia de assar sardinhas no borralho, ui, que medo m&m, que medo...
      fique a saber, sr. dr., que único património inalienável da sua cliente é o que EFECTIVAMENTE é dela, roubos, furtos, assaltos e coisinhas assim não aumentam a mercadoria própria, ora só o que mais faltava! o menino, que nunca derrete nas mãos devia saber que a sua cliente de prova tem apenas a palavra, enquanto eu, moi, je, myself and I, euzinha, tenho o boletim das vacinas e o registo de propriedade de MuMu, o bovino mais lindo e gracioso de toda a blogosfera e arredores, daqui a Marte, e de Marte cá. alem disso, e não menos importante, Milu, agente secreta, e não uma "aranha pirosa" como a sua cliente ouso definir, já reuniu provas suficientes para terminar de vez com esta afronta.
      Meu caro m&m, por obséquio, informe a sua cliente que tem neste momento duas hipóteses, é simples, ou avançamos para a burocracia dos abutres de toga ou está desafiada, aqui e agora, para um duelo de mosquete!
      En garde!

      Eliminar
  6. O problema de haver "pessoas" que se acham o supra-sumo da inteligência, é haver pessoas que lhes dão tempo de antena. Falta sentido crítico e opinião própria... (correndo o risco de não ter percebido...)

    Seja como for, adorei a troca de resposta e fiquei curiosa. Afinal a vaca era mesmo uma vaca?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Mafy!
      A vaca era uma vaca virtual, mas muito estimada por algumas bloggers aqui do pedaço :-)
      (Bom ver-te por aqui!)

      Eliminar